A VCB denuncia: Casal é proibido de ficar com a criança recém nascida logo após ao parto, pelo fato de serem "cegos".

É quase inimaginável, no Século XXI, ainda ouvirmos histórias como essa:
No último dia 16 de agosto, do corrente ano, a jovem Ulianara, acompanhada pelo seu companheiro Augusto, deu entrada no Hospital Municipal Ronaldo Gazola, a fim de ser realizado o seu parto de cesariana; ocorre que poucas horas depois do parto o casal foi comunicado pelo Setor de Assistência Social, através de uma profissional de nome Mônica, que a criança não poderia permanecer sob a guarda do casal, com consequente encaminhamento para adoção, porque se tratavam de pessoas "cegas", em que na concepção desta assistente social "cegos teriam era de ficar em casa, assistindo televisão com uma bacia de pipoca, ao invés de ficar fazendo filho...", palavras da profissional, denunciadas pelo companheiro da jovem Ulianara no programa da rádio Web Visibilidade Cegos Brasil (www.visibilidadecegosbrasil.com.br/radio), o qual vai ao ar de segunda a quinta-feira, a partir das 20:30, através do qual essa hedionda notícia foi veiculada, causando perplexidade e indignação a toda comunidade de pessoas com deficiência de modo geral e, especialmente, entre aquelas com deficiência visual.

Para ter acesso ao relatório divulgado por nós e produzido pela Doutora Maria Carlota de Alencar Pires, e encaminhado para o 10º Conselho Tutelar de Santa Cruz, RJ
,
Clique aqui...



Comentar

CAPTCHA
Digite a soma dos números que aparecem no captcha.
12 + 2 =
Resolva este problema matemático simples e digite o resultado. Por exemplo para 1+3, digite 4.